Nossa Senhora do Carmo

Publicado por: Paróquia São Marcos

Nossa Senhora do CarmoFelizes os que tornam a Virgem Maria cada vez mais conhecida, amada e imitada pelos seus verdadeiros devotos. De Maria nunca se fala suficientemente (de Maria nunquam satis), considerando-se imensidade de suas prerrogativas e privilégios. Ela é uma só, todos nós sabemos, mas tem muitas invocações, justificadas, incomensuráveis.

Segundo São Luiz Grignon de Monfort. Deus reuniu todas as graças e chamou Maria. Foi Ela, a pobre e humilde Virgem de Nazaré, a escolhida para a maternidade virginal de Deus, na Encarnação do Verbo, que ipso facto a fez Imaculada. A Mãe de Deus, assim saudada por Isabel cumpriu a profecia de Isaías: “uma Virgem dará à luz um menino que se chamará Emanuel” (Is 7,14).

Dia 13 de Julho celebramos a 3ª Aparição da Senhora do Rosário em Fátima que nos revelou o Imaculado Coração de Maria, mas também, a Rosa Mística, Mãe da Igreja, que também nos pede o Rosário, penitência e oração, hoje conhecida e no Mundo inteiro venerada.

Celebra-se Nossa Senhora do Carmo dia 16 de Julho, que há mais de sete séculos, nos deu o milagroso Escapulário (scapula-hombro), insígnia em honra da Virgem. Recebido por São Simão Stock, superior geral da benemérita Ordem dos Carmelitas e ao superior geral em 1245, que se abrigava num tronco de árvore ou “Stock”, penitente, por 20 anos. Mas os Carmelitas foram violentamente perseguidos pelos Sarracenos e abandonaram o Monte Carmelo e a Palestina, instalando-se na Europa. São Simão pediu fervorosamente a proteção de Maria para a sua Ordem, mediante um sinal sensível: “Ó Virgem Maria, tomai nossa defesa, e mostrai que sois nossa Mãe”! Foi assim que a Virgem atendendo às preces e lágrimas, lhe entregou o célebre Escapulário do Carmo, como distintivo e prova de privilégio: “Aquele que morrer revestido do escapulário, será preservado das penas do inferno; é um sinal de salvação, uma defesa nos perigos e o penhor de uma paz e proteção especial até o fim dos séculos”. Isto ocorreu em 16 de Julho de 1251, no Condado de Cambridge; a perseguição cessou prontamente e a Ordem Carmelita expandiu-se com simpatia universal.

Setenta anos depois, já difundido o escapulário pela multidão de fiéis, inclusive entre altas autoridades (no Brasil citamos o ministro Luiz Flacker Scartezini, do egrégio TSJ, que o propaga), a Virgem confirmou o privilégio sabatino, aparecendo ao Papa João XXII: prometeu descer ao purgatório, como terna mãe, no sábado seguinte à morte, para levar os fiéis “a feliz morada de vida eterna”. Privilégio cuidadosamente examinado que foi objeto de uma bula de João XXII (1322), admitida por dezenas de Papas sucessores, e foi confirmado por decreto de Paulo V, aos que trouxerem o escapulário e o guardarem a castidade própria do estado, recitarem o pequeno ofício e a abstinência (1866). Jesus amigo nos adverte: “Ficai preparados, ninguém sabe o dia nem a hora. Precisamos das graças da Janua Coeli – Porta do Céu”.

Milagres, prodígios, têm sido obtidos com a oração do Escapulário, livrando os devotos de perigos, cuja narrativa encheriam volumes... e tanto apreço Deus tem o Escapulário que o confirmou, mais uma vez, na última Aparição de Nossa Senhora de Fátima, há noventa anos passados. Para não perder o sabor da originalidade, da cristalina fonte, vamos dar a palavra à Irmã Lucia, cuja narração sincera se encontra no Livro: “O Segredo de Fátima”: Dia 13 de outubro de 1917... perguntou Lúcia: “Que é que Vocemecê me quer”? – “Quero dizer-te que façam aqui uma capela em minha honra; que Sou a Senhora do Rosário; que continuem sempre a rezar o Terço todos os dias. A guerra vai acabar, e os militares voltarão em breve para as suas casas”.

Desaparecida Nossa Senhora, na imensa distância do firmamento, vimos o sol, São José com o Menino pareciam abençoar o mundo, com uns gestos que faziam com a mão em forma de cruz. Pouco depois, desvanecida esta aparição, vi nosso Senhor e Nossa Senhora, que me davam a idéia de ser Nossa Senhora das Dores. Nosso Senhor parecia abençoar o Mundo da mesma forma que São José.

Desvaneceu-se esta Aparição, e pareceu-me ver ainda nossa Senhora em forma semelhante a Nossa Senhora do Carmo – SIC (Op. Cit.pag. 147/148, Ed. Loyola)

Em Curitiba temos o Convento das Irmãs Carmelitas, no Guabirotuba localizado à Rua Joaquim Silveira da Mota. As irmãs carmelitas são reclusas contemplativas que rezam dia e noite, conseguindo inúmeras graças para os curitibanos visitantes, sempre humildes e discretas.

A Virgem do Carmo é a Padroeira de Dom Pedro Fedalto e de sua terra natal.

Invoquemos confiantes, como intercessora poderosa

Na Paróquia São Marcos será celebrada Santa Missa em honra à Nossa Senhora do Carmo na Gruta ao lado da casa do Sr. Wilson Joly, localizada à Rua Dona Branca do Nascimento Miranda, n° 273 às 19h30min do dia 16 de Julho – quarta-feira.